MICOSE

A micose é uma doença extremamente comum nos consultórios médicos dermatológicos. Muito dificilmente, a gente passa um dia em atendimento sem pegar um caso de micose. A micose pode acometer pele, cabelos e unhas. A micose de pele é extremamente comum, principalmente em áreas abafadas e de dobras, por exemplo, entre os dedos dos pés. Entre o abdômen e a região hipogástrica, ou seja, naquela região que chamamos de aventalzinho, que é aquela dobrinha que fica abaixo da pele. A micose também pode acometer a região inframamária, ou seja, região abaixo das mamas. Em menos comum nas axilas e pescoço. E na região entre os glúteos, entre os bumbuns. Esses fungos vivem comumente em nossa pele, pois a maior parte dos fungos nós já temos, eles vivem em certa harmonia com bactérias e vírus. Porém, têm fungos que não vivem em nossa pele, e podemos entrar em contato com eles através de água e da terra contaminados, mas é um quadro mais raro. A maior parte das micoses são causadas por fungos, que já está na nossa pele. E por um deficit de um mecanismo de defesa,  esses fungos se proliferam mais que do que deveriam, por exemplo, em um paciente diabético, que tem a imunidade mais baixa, as chances de desenvolver a micose são maiores do que em outras pessoas. Além da micose da pele, podemos ter a micose de unha chamada de onicomicose. A onicomicose acomete tanto homens como mulheres. Geralmente ela tem uma certa predileção pelos primeiros dedos dos pés, que nós chamamos de háluces. Essa micose pode ser decorrente de um trauma na unha, em decorrência de um descolamento das mesmas e o fungo passa a proliferar bem no vão entre a unha descolada e o tecido, na carne como a gente fala popularmente. Esse fungo pode entrar também por outras vias, e pode ser facilitado pelo uso diário de esmaltes, bases e acetona, que enfraquecem as unhas. O fungo tem facilidade de penetrar na unha, e isso é uma coisa muito comum em mulheres. O trauma decorrente pelo uso dos sapatos bicudos, usados por mulheres também é extremamente habitual nos consultórios dermatológicos. O tratamento de micose de pele geralmente é muito simples. Podemos usar substâncias em creme antifúngicas e, raramente, antifúngicos de uso interno, ou seja, de uso oral. Já a micose de unha o tratamento depende em que fase essa micose se encontra. Em fase iniciais, geralmente optamos por substâncias antifúngicas em esmaltes ou em soluções. Agora quando a micose é um pouquinho mais avançada, nós associamos essa terapêutica mencionada mais antifúngicos orais, ou seja, comprimidos que contenham substâncias que consigam matar os fungos. E podemos ainda associar nesses casos leves e intermediários, o laser. Existem alguns lasers que conseguem com muita eficácia matar o fungo, que tá parasitando a unha e abaixo da mesma. O número de sessões desses lasers varia de acordo com a tecnologia e o protocolo, por exemplo: têm lasers que você pode aplicar semanalmente, outros quinzenalmente  e outros mensalmente. Isso depende da tecnologia escolhida pelo médico dermatologista. Em casos em muitos avançados de micose, associamos essas três modalidades terapêuticas, e por vezes, abrasão química e abrasão cirúrgica, que são mecanismos que destroem  literalmente essa unha que tá podre. Micose de cabelo é um pouquinho mais incomum, tá? e geralmente causa  lesões descamativas, e que coçam o couro cabeludo. O nome científico da micose, no couro cabelo é kerion, e pode ser leve até umas micose bem exuberante, que dá lesões bem escamosas no couro cabeludo.